8 tecnologias que prometem mudar a forma como você paga contas

Enquete

O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Cotações e Índices

Moedas - 17/10/2017 09:29:28
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,176
  • 3,177
  • Paralelo
  • 3,140
  • 3,300
  • Turismo
  • 3,050
  • 3,300
  • Euro
  • 3,735
  • 3,736
  • Iene
  • 0,028
  • 0,028
  • Franco
  • 3,249
  • 3,249
  • Libra
  • 4,190
  • 4,192
  • Ouro
  • 130,780
  •  
Mensal - 09/10/2017
  • Índices
  • Ago
  • Set
  • Inpc/Ibge
  • -0,03
  • -0,02
  • Ipc/Fipe
  • 0,10
  • 0,02
  • Ipc/Fgv
  • 0,13
  • -0,02
  • Igp-m/Fgv
  • 0,10
  • 0,47
  • Igp-di/Fgv
  • 0,24
  • 0,62
  • Selic
  • 0,81
  • 0,64
  • Poupança
  • 0,56
  • 0,55
  • TJLP
  • 0,58
  • 0,58
  • TR
  • 0,05
  • -

Obrigações do Dia

  • 20/Outubro/2017 – 6ª Feira
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras
  • INSS | Previdência Social
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal
  • Simples Nacional
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação – PMCMV
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento excepcional de débitos de Pessoas Jurídicas
  • Parcelamento especial da Contribuição Social do salário-educação
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento Especial de Débitos - PAES
  • Informe de Rendimentos Financeiros - PJ

Caixas eletrônicos que parecem smartphones, pagamento por link e até por selfie, conheça algumas soluções que já estão no mercado, ou devem chegar em breve.
Caixas eletrônicos que mais parecem smartphones, com espessura fina, tela sensível ao toque e que liberem saques pelo celular. O cenário pode parecer um tanto futurista, mas esses terminais já foram desenvolvidos e estão prontos para chegar ao mercado.
Essa e outras soluções inovadoras foram apresentadas durante o Ciab Febraban, congresso de tecnologia para o setor bancário, na última semana em São Paulo. Veja algumas das que prometem transformar o jeito com que você lida com dinheiro e pagamentos.

1. Caixa eletrônico "smartphone"
Os protótipos do caixa eletrônico "smartphone" foram desenvolvidos pela Diebold Nixdorf, que diz operar metade dos ATMs no país e é líder nesse mercado.
Batizado de "Essence", ele usa tecnologia de comunicação sem fio e permite, por exemplo, que correntistas programem saques pela internet, que poderão ser retirados até mesmo por quem não tem conta em banco, por meio apenas de um QR code e um token, gerados no celular.
O design minimalista foi possível porque o caixa não possui teclado para digitação de senha (processo feito na própria tela), leitor de cartão de fita (a leitura é feita por EMV, tecnologia de pagamento sem contato) e impressora de recibos (que são emitidos eletronicamente).
A empresa diz que "muitos bancos" no Brasil e fora do país se interessaram pelo conceito, mas não divulga as negociações. Também não estimou um prazo para que ele de fato esteja disponível para o consumidor.

2. Pedágio pago no pulso
A MasterCard anunciou na Ciab uma solução que vai permitir que motoristas paguem pedágios por meio de uma pulseira equipada com tecnologia NFC, de comunicação por aproximação.
O banco emissor desse dispositivo será o Santander e a adquirente (empresa de maquininha que processa os pagamentos), a Stone.
Os primeiros terminais de pedágio que aceitarão o sistema serão os da Ecorodovias. As transações também poderão ser feitas por smartphones que têm carteiras digitais e cartões de crédito e débito com recurso de pagamento sem contato.
A MasterCard não divulgou em quanto tempo o produto, que está em desenvolvimento, deve chegar ao mercado. A novidade será útil para os motociclistas que, ao contrário dos motoristas de carro, ainda não contam com dispositivos acoplados ao veículo que façam pagamentos de pedágio automaticamente.

3. Celular e cartão de crédito aceitos no ônibus e no metrô
Protótipo de catraca de ônibus que aceita cartões de crédito, da MasterCard (Foto: Divulgação/MasterCard) Protótipo de catraca de ônibus que aceita cartões de crédito, da MasterCard (Foto: Divulgação/MasterCard)
Protótipo de catraca de ônibus que aceita cartões de crédito, da MasterCard (Foto: Divulgação/MasterCard)
A MasterCard também já está testando, pelo mesmo tipo de tecnologia NFC, um sistema que permite que usuários paguem passagens de metrô e ônibus com cartões de crédito, débito, ou pré-pago ou pelo celular. Funciona apenas por aproximação, sem necessidade de digitar senha.
Para operar, os cartões precisam ter a tecnologia EMV, de pagamento sem contato. O recurso já está em teste em fase piloto em São Paulo (em ônibus da linha Diadema-Berrini), no Rio de Janeiro (nos trens das estações da linha Deodoro), e em alguns ônibus de Curitiba e Porto Alegre.
A MasterCard não abre quantas pessoas já testaram a novidade.

4. Carro que paga combustível e estacionamento
Protótipo de carro conectado da Visa, apresentado na Ciab (Foto: Divulgação/Visa) Protótipo de carro conectado da Visa, apresentado na Ciab (Foto: Divulgação/Visa)
Protótipo de carro conectado da Visa, apresentado na Ciab (Foto: Divulgação/Visa)
Junto com a Honda, a Visa está desenvolvendo fora do país aplicativos integrados a um carro que vão possibilitar que o motorista pague combustível e estacionamento com um clique, direto do painel.
O app de abastecimento vai detectar quando o nível de combustível está baixo e indicar postos próximos, por exemplo, e calcular quanto custará para completar o tanque assim que o carro parar na bomba.
O de estacionamento vai calcular automaticamente o tempo de uso e preço a ser pago pela vaga, direto no painel do carro.
As soluções estão sendo criadas também em parceria com a empresa de segurança em pagamentos Verifone e do app de reserva de estacionamento ParkWhiz.
Elas utilizarão o Visa Checkout, serviço de pagamento online da companhia. Ainda não existe modelo pronto do carro conectado e não há previsão para lançamento. A Visa não tem iniciativas do tipo no Brasil.

5. Selfie que é 'senha'
Todos os clientes do banco digital brasileiro Neon que têm cartão Visa já podem validar suas compras online por meio de uma selfie.
Ao abrir uma conta no banco, além de enviar uma foto de cédula de identidade ou carta de motorista, o cliente precisa cadastrar uma senha numérica, sua digial e uma selfie (para reconhecimento facial).
Essa foto fica armazenada no banco de dados do banco. Quando o consumidor faz a compra e envia a selfie, o sistema de segurança e autenticação confere se ela corresponde à foto cadastrada.

6. 'Jeito único' de pagar
A empresa de soluções biométricas Aware apresentou na Ciab algumas soluções que prometem atestar que de fato é o cliente que está fazendo uma transação identificando padrões no seu comportamento.
Por exemplo: ao cadastrar uma senha, o sistema medirá a forma exata como o usuário digita, por meio de pressão e velocidade, que caracterizam um jeito único. Se outra pessoa tentar se passar por esse consumidor, a operação é bloqueada.
A tencologia é voltada para compras feitas online em tablets e celulares e poderá ainda ser cruzada com recursos de reconhecimento facial e voz.
Segundo a Aware, outros dispositivos de segurança são capazes ainda de discernir uma pessoa de fotos ou vídeos. A empresa diz que há um banco brasileiro interessado nas soluções e espera que elas já cheguem ao mercado no segundo trimestre deste ano ou no começo de 2018.
A Microsoft já fornece uma tecnologia parecida para bancos, inclusive no Brasil. Em parceria com a empresa Amiggo, a gigante vende uma solução que identifica padrões de navegação na internet. Ela roda no Azure, a nuvem da Microsoft.
Chamado de biocatch, o recurso mapeia a forma como cada pessoa arrasta o mouse ou toca seu dedo na tela do smartphone. Com base nesses dados, o sistema cria uma assinatura cognitiva única para cada usuário.
Quando um fraudador tenta realizar uma transação, as diferenças no padrão de comportamento são identificadas e um alerta é enviado à TI do banco, que bloqueia o operação.
A Microsoft não revela quais bancos já usam o produto no Brasil mas, no site da Amiggo, o Itaú é apontado como um de seus parceiros.

7. Pagamento por link
A Cielo tem um sistema que permite que pequenas empresas cobrem por seus produtos por meio de um link para pagamentos na internet, sem a necessidade de ter uma loja virtual completa.
Funciona assim: o empreendedor cadastra o produto em uma plataforma que gera um endereço eletrônico, que pode ser enviado por qualquer canal (redes sociais ou mensagens). Esse link direciona para uma página específica no site da Cielo, onde o cliente cadastra suas informações e faz o pagamento. O sistema processa transações por débito, crédito, boleto e transferência bancária e aceita todas as grandes bandeiras de cartões.
O recurso foi lançado no fim do ano passado e já é usado por cerca de 150 pequenas empresas e profissionais autônomos. Não há tarifa fixa para disponibilizar o serviço, mas são cobradas taxas por cada venda concluída.

8. Rateio de contas por WhatsApp
O Banco do Brasil disponibilizou em seu aplicativo uma nova funcionalidade que permite compartilhar informações para transferências por SMS ou WhatsApp.
Ao acessar a opção "Pagar e Receber" dentro do app, o cliente informa um valor e uma data para recebimento. Então, o sistema gera um QR code contendo esses dados e os números da sua agência e conta. Esse código pode ser enviado para quem vai transferir o dinheiro. Ao acessá-lo, o responsável pela transferência é direcionado para o ambiente seguro do app do BB e precisa digitar sua senha de conta corrente para confirmar a transação.
A solução possibilita que um mesmo evento seja compartilhado entre duas ou mais pessoas, facilitando o rateio de contas de restaurantes e serviços de transporte, por exemplo. Mas só funciona se todo mundo tiver conta no Banco do Brasil.

fonte: g1.globo

Desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
LF Contabilidade  |  Rua Bernardino Fanganiello, 731 - Casa Verde - São Paulo / SP - CEP 02512 000   |   Fone: 11. 3856 6126